Paixão e Romantismo: ainda tem espaço por aqui?

Eu sei, eu sei… Assunto batido esse, não é? Mas é algo que não sai da minha cabeça. E não falo de romantismo no sentido restrito: dar flores, escrever poemas e coisas assim. Falo de romantismo como um posicionamento diante da vida e dos relacionamentos. A vontade de encontrar alguém que você de fato pensa passar o resto de sua vida ao lado. A tenacidade de buscar, em cada dia, tudo aquilo que te fez querer estar ao lado dela desde o primeiro momento. A dedicação de cuidar dessa relação, conversando sempre que algo te incomodar, abrindo mão quando for necessário. Você pode estar pensando que essas últimas coisas que eu citei não tem qualquer relação com o romantismo, mas insisto em dizer, tem tudo a ver, sim.

Por trás de todos aqueles comportamentos que reconhecemos como traços de uma pessoa romântica existe um conjunto de valores, uma forma de pensar. O que me assusta nas relações entre duas pessoas hoje em dia é muito menos a falta dos gestos românticos mas a ausência desses valores que desapareceram sem deixar vestígios. Não vou cometer o erro de dizer que as relações de antigamente seriam inerentemente mais felizes do que as atuais, porque sei que não era assim. Mas aposto que todo mundo é capaz de perceber que algo muito importante desapareceu, alguma coisa aconteceu e transformou visivelmente a maioria dos relacionamentos que existem atualmente. O que seria isso?

Foto: reprodução

Foto: reprodução

É a desvalorização dos vínculos. As pessoas parecem não se preocupar em manter e cuidar deles. Amizades, namoros e até casamentos. Os relacionamentos são cada vez mais frágeis, quase descartáveis: o importante é a relação em si, não a pessoa; é ter alguém, não quem. Ironicamente, não percebem que ao fazer isso uns com os outros todos saem perdendo no final. Basta lembrar que antes as pessoas viviam procurando motivos para continuar com alguém. Hoje, qualquer coisa é motivo para querer terminar. Um relacionamento era a busca do bem comum, de se preocupar com o bem estar do outro. Hoje o foco é o próprio bem estar. O que pensam é “ele não me aceita como eu sou”, “não me entende”, “não faz o que eu peço”, “comigo”, “meu”, “eu”. Mais do que nunca, é a vida em primeira pessoa.

Quando o outro não satisfaz aquilo que nós queremos, dispensamos sem pensar. É surpreendentemente fácil abrir mão de alguém hoje em dia. Claro, as pessoas choram, ficam tristes, mas superam com uma facilidade assustadora. Relações de anos terminam sem que exista um esforço de ambos de salvar aquilo que construíram juntos. Acredito que o romantismo não desapareceu porque saiu de moda, desapareceu porque os valores que o sustentavam ficaram para trás. Gestos românticos são em sua natureza última baseados na preocupação e admiração pelo outro. Passar a fazer certas coisas porque seu parceiro as valoriza, deixar de fazer outras porque incomodam. É algo que vem dos dois lados e que quando é realmente recíproco, ambos saem ganhando. Quando não é, alguém sobra na história.

Os que ainda são assim são pessoas modernas de alma antiga. Podem não fazer os gestos geralmente atribuídos a pessoas chamadas de românticas, mas ainda assim, são os verdadeiros românticos em seu interior. Mais do que sentir falta de alguém que realmente aprecie poesias e um buquê de flores (e eu sinto muita falta disso), sinto falta de pessoas que tenham esses valores arraigados em sua personalidade. Pessoas assim são raras e esperar que duas delas se encontrem exige um pouco de otimismo. E o meu estoque vai acabando ano a ano. Mas pode ser que ainda valha à pena acreditar.

Anúncios

Um pensamento sobre “Paixão e Romantismo: ainda tem espaço por aqui?

Deixe seu recado após o sinal. Beep!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s