É amor ou amizade? Entenda a tal Friendzone!

Vamos lá meus caros amigos, porque dessa vez o meu papo é com vocês, homens da internet. Acredito que a maioria já passou por uma situação como essa: você conhece uma mulher; inteligente, bonita, interessante, emocionalmente viável e solteira. Quando você menos espera, percebe que vocês já ficam de papo pela internet quase todo dia, conversam por telefone, mensagens… Basta um ou dois dias sem se falarem por algum motivo e você sente como se fossem semanas! Depois disso tudo, você percebe que ela é alguém que vale a pena tentar algo mais sério e então você se declara, ou talvez tente demonstrar de alguma outra forma. Mas daí a catástrofe ocorre – ela diz que você “entendeu” tudo errado, que vocês são ótimos amigos e ela não consegue te ver de outra forma. É, meu caro, parece que você está na famosa “friendzone”.

 

O termo friendzone (que em português seria algo como “zona da amizade”) ganhou o mundo no dia três de novembro de 1994, em um episódio do seriado americano de televisão, FRIENDS. Em uma conversa entre dois personagens, Joey diz para Ross que ele esperou tempo demais para tomar alguma atitude em relação aos seus sentimentos por Rachel e por causa disso ele agora estava na friendzone; situação onde não importa o que ele fizesse, jamais sairia do status de “apenas amigos”.  Mas será que isso existe mesmo? Bom, com toda certeza existe a situação de se interessar por uma pessoa e não ser correspondido, algo comum tanto para homens quanto para mulheres. Mas deve existir algum motivo para esse termo ganhar tanta popularidade com o público masculino, alguma razão pela qual tantos homens se identificam com essa situação.

 

Tem mesmo, ou ao menos é o que diz a ciência. Uma pesquisa conduzida por um grupo de pesquisadores da Universidade de Wisconsin mostrou que os homens são mais propensos a se sentirem atraídos por suas amigas do que o contrário. Não só isso, mas eles também estão mais predispostos a acreditar que essa atração é recíproca, o que não foi o caso na maioria dos pares estudados.  Isso costuma acontecer por causa de uma diferença fundamental na forma que homens e mulheres criam seus vínculos de amizade. Um artigo publicado pela Universidade do Texas nota que os homens tendem a valorizar bastante em um relacionamento de amizade a possibilidade de que sua relação com a mulher possa eventualmente progredir para algum tipo de envolvimento mais íntimo, enquanto as mulheres tenderam a valorizar mais questões como a companhia e a proteção que poderiam vir desse tipo de relação.

 

Foto: reprodução

Foto: reprodução

 

Mas até aqui só falamos de tendências vagas, isso não explica muito por que isso realmente acontece. Uma possível explicação, bem famosa na internet, é a “teoria das escadas”. Ela afirma que as mulheres têm escadas separadas para classificar os relacionamentos em suas vidas, uma para amigos e outra para paqueras, sendo que os membros de um grupo raramente conseguem passar para outro. Supostamente esse não seria o caso dos homens, que possuem uma única escada. O que essa teoria propõe é que para os homens, toda amiga é uma possível paquera em potencial, desde que exista oportunidade para a manifestação do interesse. Quem nunca ouviu que “não existe amizade verdadeira entre um homem ou uma mulher”, ou alguém dizendo algo como “se você acha que ele é seu amigo então tente dar bola para ele e veja o que acontece”? Clássico, não é?

 

Isso daria um outro (longo) texto sobre amizade, mas não é essa a questão em jogo aqui. A minha opinião é que existe uma confusão na cabeça de muitos homens sobre qual seria a melhor forma de se abordar uma mulher pela qual você possui algum nível de interesse. É sempre bom lembrar que existem exceções, mas uma boa regra geral seria: se você não quer ser visto apenas como amigo, não se comporte como um! Não estou dizendo que o ideal é ser um grosso, metido, ou nenhuma dessas ideias bestas sobre paquera difundidas na internet. O que eu quero dizer é que você precisa ser direto o suficiente para que a mulher consiga ao menos suspeitar que você está interessado nela e não que deseja apenas ser um amigo, alguém que adora sua companhia e nada mais.

 

Veja bem: muitos homens estão cansados de ouvir das mulheres que eles não prestam, que não são gentis, não são cavalheiros, cuidadosos, etc. Por causa disso chegaram à conclusão (errada) de que agir seguindo esses princípios iria despertar o interesse daquela mulher que tanto desejam. Poxa, a vida seria tão mais simples se fosse assim, não é verdade? Não, meu caro, o interesse não funciona como uma checklist que ao se marcar pontos suficientes a pessoa descobre o quanto ela gosta de você. Na esmagadora maioria dos casos, interesse é algo que surge naturalmente, instintivamente, com base na forma que duas pessoas se relacionam. Se a sua vontade é paquerar certa mulher, você deve ter como objetivo criar um clima de paquera quando estiver com ela – se por mais nada, ao menos para que ela note o seu interesse e pense em você dessa forma.

 

Se esse interesse não for recíproco você se poupou de meses de esforço desperdiçado ao construir uma relação de amizade que surgiria pelo motivo errado, e que soaria até mesmo falsa. Então não se torne amigo de uma pessoa porque você tem interesse nela. Isso pode dar errado por diversos motivos! Primeiro que ela pode passar a te ver apenas como amigo e aí você vai entrar para a lista dos homens que reclamam da friendzone nas redes sociais. Segundo que você pode acabar se tornando confidente dela: ouvir histórias sobre os paqueras e rapazes pelos quais ela se interessa não é nada agradável se a sua vontade era ser exatamente um deles. Terceiro que você pode acabar em um impasse onde estar perto da pessoa te faz mal por saber que seu interesse não é correspondido, mas se afastar dela é igualmente doloroso pela amizade que vocês já construíram. Não é melhor ser direto e evitar situações assim?

 

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Então como veredito final, existe a friendzone? Eu diria que sim. Mas a maioria dos homens (e mulheres) que acabam parando nela chegaram ali porque escolheram o caminho errado para abordar a pessoa pela qual sentem interesse. “Mas meu caro”, você me pergunta, “o que fazer quando você tem uma amiga e só percebe que está interessado nela quando é tarde demais”? Complicado isso, heim? Se existir uma resposta para essa pergunta, tem uma multidão de curiosos querendo saber qual é, e até alguns psicólgos que acreditam ter encontrado parte da solução. O que eu posso te dizer é que existem indivíduos raros que conseguiram, sim, escapar dessa situação. De uma forma ou de outra, você só vai saber qual é o seu caso se tentar. Então, boa sorte!

Anúncios

Deixe seu recado após o sinal. Beep!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s