Os bastidores da carta Engula o Choro Dilma.

Quando um povo que sofre algo como o terrível último domingo em Santa Maria se
preocupa mais em defender ou atacar um texto, o que fazer? Quando estão ocupados
copiando o texto dos outros, colocando outra assinatura, e distribuindo sem mesmo
conhecer a simples lei dos direitos autorais, o que fazer? O que é que se espera
quando, após manifestar um pedido de justiça pelas famílias, e um pedido de oração
por elas em textos diferentes, somos taxados de sensacionalistas e insensíveis porque
as mesmas pessoas que compartilham a crítica não querem compartilhar a prece?

Imagem: reprodução

Imagem: reprodução

Meu nome é Danniela Karam. Na verdade, tenho mais nomes que isso, mas assino
meus textos como Dannie Karam. E daí? Quem é Dannie Karam? Dannie Karam
não é ninguém. Mas tem vontade de dar voz a todo mundo. Dannie Karam calou-se
por muito tempo e agora resolveu que tem direito (por lei, por ética, por humanidade)
a expressar o que pensa e sente de forma livre. E Dannie Karam o faz através da
escrita. Exatamente por tantas vezes precisar calar, hoje, só sei falar através de meus
textos. E aceito as críticas que a eles chegam, e respondo. Sempre com educação,
com calma, com carinho. Pessoas se tornaram meus amigos porque viram que eu não
tenho medo de dizer: ei, estou errada! Você trouxe um novo argumento e tem razão.

Sou uma santa? Não! Sou melhor que alguém? Se eu fosse, não ia querer crescer
com os demais. Mas sou uma escritora. E acima de tudo isso, sou uma brasileira. Sou
a brasileira que escreveu ENGULA O CHORO DILMA. Não sou Marcella Martins, nem
Gustavo Ribeiro, nem nenhum destes nomes, que indevidamente foram usados para
assinar o meu texto. Sou Dannie Karam. E sou uma pessoa que acordou no último
final de semana, e quando ligou o computador viu a tragédia de Santa Maria. E na
mesmíssima hora, viu também pingar uma notícia no maior jornal do país dizendo:
“Dilma chora em declaração sobre Santa Maria e cancela viagem ao Chile.”.

E pronto. Cinco minutos depois Engula o Choro Dilma estava escrito. Não porque eu
achei que a Dilma não devesse literalmente chorar. Não porque eu achei que a Dilma
tem culpa de tudo. Mas porque sou uma brasileira que poderia estar numa boate que
pegou fogo. Porque sou uma jovem que poderia ter perdido a chance de ser alguém
melhor. Porque sou uma pessoa que poderia ter perdido o direito de viver pela falta
de fiscalização de algum irresponsável. E foi por isso que eu reuni tudo que senti, e
despretensiosamente porém emocionadamente, pedi que Dilma agisse. Que Dilma
não deixasse um episódio que matou tantos jovens, com a vida toda pela frente,
terminar de qualquer jeito.

Não. Não sou anti-petista. Não sou envolvida com política. Mas sei que se uma lei
não funciona, é preciso recorrer ao legislativo. Se o legislativo não funciona, é preciso
recorrer à presidente. Sei também que se uma prefeitura não faz seu trabalho, um
governador precisa assumir, e se esse também trata com descaso, novamente se
cobra a presidência. Um presidente, ao se candidatar sabe que será cobrado e
sinceramente, não acho que a presidente chorou com minhas palavras.

Sei também que a Dilma não é responsável por todos os problemas do país. Cá pra
nós, nossos votos são vendidos pela cesta básica, pelos olhos mais bonitos ou pela
vizinha conhecida. Mas este acontecido mexeu comigo de uma forma mais profunda.

Me fez lembrar de obras que mataram pessoas porque não tinham fiscalização. Me fez
lembrar de pontes, prédios, aviões que caíram sem resposta. Me fez lembrar da seca
que todo ano acontece novamente e todo ano mata o mesmo (se não mais) número
de pessoas. Me fez lembrar de todos os episódios tristes e sofridos do Brasil que
aconteceram por irresponsabilidade, e que terminaram em completa impunidade. Isso
sem contar acidentes nas estradas, impunidade política, falta de segurança e tantos
outros problemas mais.

Santa Maria me abriu os olhos para todos os outros eventos os quais eu nunca
escrevi. Me abriu o peito para todas as outras dores que eu nunca senti. Isso não faz
de mim melhor. Não faz de mim digna de nada. Apenas faz de mim um ser humano
que também sente. Não sou vítima. Não sou coitada. Não perdi filho. Mas como gente,
tenho a capacidade que quase nenhum outro bicho tem que é sentir compaixão.

E aí o que era pra ser apenas um desabafo, se tornou uma loucura. Um viral na
internet. Espalhado com nomes errados, em perfis gigantes, que permitiram uma série
de comentários desrespeitosos, não só a mim, mas também às famílias. Gente que
brigou comigo por eu dizer que o texto era meu, gente que brigou comigo por não
deixar a Dilma chorar, e basicamente, um monte de gente que não soube interpretar,
porque somos um país de ferro e fogo, onde ninguém entende nada se não for no
bolso. Se não for na família. Se não for ao pé da letra.

A linha tênue entre o sentimento e o sensacionalismo foi quebrada. Mas não por
mim. E sim por aqueles que estão falando do texto sem o terem visto em sua origem,
sem terem conversado comigo em meu perfil – que está aberto a mensagens de
todos, sem terem deixado comentários em meu blog, onde respondo a todo mundo, e
inclusive estou fazendo amigos com pessoas que começaram discordando de mim.

Eu escrevi para sentir. Eu escrevi para pedir justiça. E sinceramente, eu não me
arrependo. Não me arrependo mesmo vendo que algumas pessoas de bem acharam
que o texto as incluía. Não me arrependo mesmo vendo que algumas pessoas de
bem acharam que eu não queria que a presidente literalmente chorasse. Não me
arrependo mesmo sabendo que algumas pessoas de bem acharam que eu não
tenho sentimento. Não me arrependo nem mesmo sabendo que roubaram meu texto,
quando colocaram assinatura de outra pessoa e o fizeram perder totalmente o controle
e o cuidado que eu o estava tendo.

Não me arrependo porque enquanto alguns brasileiros se preocupam mais em discutir
comigo, ou com a Marcella Martins, muitos conversaram. Muitos pensaram. Muitos
levaram à rádios, jornais e até canais menores de televisão, para usar a força da
mídia. Muitos se manifestaram com a mesma vontade: um país melhor. E é isso que
vale. Saber que aqui não é terra de ninguém. Saber que aqui não é casa da mãe da
Joana (com as desculpas a todas às Joanas do Brasil). Saber que aqui existe respeito
pela liberdade de expressão e a iniciativa à divisão, compartilhamento e troca. Isso,
ninguém vai me tirar.

Podem tirar o nome do meu texto. Podem tirar o respeito em alguns comentários.
Podem tirar a sensibilidade – que quem me conhece sabe que é até acima do que
deveria – da minha pessoa através de suas visões. Mas ninguém vai me tirar o fato de

que existe um país falando sobre isso. Que existe um país tentando entender o que
eu quis dizer, e transformando isso em força para lutar pelas famílias de Santa Maria.
Ninguém vai me tirar o sonho de ver um desabafo ser ouvido e ser compartilhado até
que finalmente tenhamos um país melhor.

Eu peço desculpas a quem entendeu errado. Estou longe de ser Machado, Coelho,
Veríssimo… Sou apenas Dannie Karam. Uma brasileira que falou, que tentou, que foi
tirada do direito de responder pelo que escreveu, mas que não desistiu de acreditar
que esse país pode ser melhor. Porque ele pode ser melhor. Sou uma brasileira que
não quer chorar pelas vítimas de Santa Maria. E nem mais nenhuma. Porque o Brasil
pode ser melhor. Se falarmos, se fizermos, se tentarmos. E eu tentei. E isso, ninguém
vai tirar de mim.

TEXTO ENGULA O CHORO DILMA: http://pipocapimentaepoesia.com.br/2013/01/27/engula-o-choro-presidente/

TEXTO DE RESPOSTA SOBRE CIDADANIA: http://pipocapimentaepoesia.com.br/2013/02/01/ajudar-a-dilma-a-fazer-um-brasil-melhor-e-possivel/

* Nota: Dannie Karam recebe assinantes em seu facebook, onde é possível encontrar também o texto de fé e amor para as vítimas, é colaboradora do Be Style, e responde ao máximo de comentários possível através do blog ao qual é co-fundadora Pipoca, Pimenta e Poesia

Anúncios

29 pensamentos sobre “Os bastidores da carta Engula o Choro Dilma.

  1. O REMENDO FOI PIOR ! AQUELE QUE NUNCA PECOU, QUE JOGUE A PRIMEIRA MENTIRA NA INTERNET PAREM DE COMPARTILHAR MENTIRAS SOBRE PT E TUCANOS,PRINCIPALMENTE EXPLORANDO DESGRAÇAS
    SE TEM ALGUM CULPADO NA POLÍTICA, É VOCÊ BRASILEIRO!
    PAREM DE POSTAR SOBRE E IGREJAS CATÓLICAS E PASTORES BILIARDÁRIOS. ESTA DESCONTENTE OU INVEJOSO!? POR UM BRASIL MELHOR POR UM BRASILEIRO MELHOR!

    COMPARTILHEM AQUILO QUE GOSTARIA QUE COMPARTILHASSEM DE VOCÊ
    Jorge Fera Hamed

    • Oi Jorge, tudo bem?
      Eu fiz exatamente isso em texto anterior, falando de práticas que todos nós brasileiros podemos fazer para esse país ser melhor. Está dentro do corpo do texto que você acabou de ler. É só clicar. Um abraço!

      • ENGULA O CHORO Dannie Karam
        Eu li o texto, mas colocar a figura politica perde toda a essência. Vira polemica ( só pra dar Ibobe) Parabéns !!!
        Seria como escrever Engula o Choro Jesus.
        Qual é essência neste trecho a onde ele fala que nos somos os culpados ” Não, presidente. Desculpe, mas na minha frente, a senhora não pode chorar. Não pode chorar sua culpa. Não pode chorar sua inércia. Não pode chorar no Chile mas também não pode chorar em Santa Maria. Porque isso é muito maior do que só um acidente. Isso é muito maior do que só sua comoção. Engula o seu choro, presidente. O seu, o dos jovens que perceberam que não teriam mais o que fazer que não morrer, e em especial, o de seus amigos e familiares, ( AQUI VOCÊ AINDA EXCLUI A CULPA DO PAÍS, NÃO TEMOS OPÇÃO!) que em um país como esse, não têm outra opção que não chorar. Engula o choro, presidente.
        Sêneca fala que : “O início da salvação é o conhecimento da culpa ” e não a transferencia dela.
        ENGULA O CHORO Dannie Karam
        DILMA NÃO É Georg Bush que MANDOU o seu povo Para a morte, para conquistas pessoais ou para vingar o fracasso do Pai.
        A Culpa do politico já sabemos, não é nenhuma novidade, por isso..
        CHORE DILMA por ter um povo corruptor que adora culpar o corrupto!
        CHORE DILMA….
        CHOREMOS TODOS e que as lagrimas grudem em nossas gargantas e nos sufoquem pelo resta da vida, pois da culpa hereditária, transmitida de geração em geração.
        Jorge Fera Hamed

      • OK, mas não vai liberar o meu ultimo comentário! Ele tem o mesmo fundamento que o seu! acho que na parte que escrevi que você queria só ibope, não foi legal, pois acho que você inocentemente escreveu do coração.
        Mas tudo bem esta no seu direito.
        Mais uma coisa, parabéns você escreve muito bem!
        Sorte menina

      • Jorge, aprovei todos!! Acabei de conferir. O único comentário de todos esses que eu excluí foi apenas um palavrão, que não dava pra entender direito. Todo o resto foi aprovado ainda que critico. Quando a gente fala precisa bater no peito. E agradeço o elogio e espero que possamos manter contato.

      • Obrigada Jorge. Realmente fico agradecida por ter me dado o benefício da dúvida. Certamente lhe admiro por isso também.

  2. Dannie Karam parabéns pelo texto … li o engula o choro presidente e passei a admirar o seu trabalho … De certa forma no Brasil os acontecimentos são esquecidos rapidamente e cobramos apenas no momento e depois cai no esquecimento e volta td como era antes … Parabens por ter responsabilizado todos os envolvidos no acidente e de certa forma se nos calamos também somos coniventes por esse fato … Parabéns por ter coragem de falar e se expressar … Se é escrevendo que você pode ajudar e fazer as pessoas refletirem … continue assim.

    Estou muito triste pelo ocorrido, mas não basta ficar triste tem que cobrar de todos os responsáveis e colaborar de alguma maneira.
    E não depende só de autoridades … nós tbm podemos fiscalizar, denunciar e evitar que isso ocorra novamente.
    Realmente … devemos engulir o choro e agir!

    • Muito obrigada Giselle por suas palavras de apoio e pela compreensão que teve do texto. Espero que com este texto final dos bastidores, mais pessoas consigam entender a situação. Muito obrigada e volte mais! Um grande abraço!

  3. Seguinte… Eu li o primeiro texto e achei um absurdo. Lendo agora tua argumentação, percebe-se a fonte daquele absurdo todo. Acho que tu tiveste boa intenção, mas há de se ter cuidado. Ninguém é obrigado a entender de política e de Direito, mas acho que ler um pouco a respeito não faz mal e evita transtornos. Tu escreveste “Mas sei que se uma lei não funciona, é preciso recorrer ao legislativo. Se o legislativo não funciona, é preciso recorrer à presidente.” Em primeiro lugar, a tragédia de Santa Maria não foi uma questão de “lei que não funciona”, mas sim de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Segundo, quando uma lei “não funciona”, não se recorre ao Legislativo e muito menos ao Executivo, mas sim ao JUDICIÁRIO. E, só pra acrescentar, quem dá o veto ou sanção final a uma lei é o SENADO, não o presidente. Nesse caso específico, a presidente NADA pode fazer a não ser chorar e dar seu apoio, pelo simples fato de que, como falei anteriormente, nada tem a ver com a “lei não funcionar”. E, além disso, é preciso haver trânsito em julgado do devido processo legal (ou seja, terminar 100% o processo de investigação e julgamento) antes que, se fosse o caso, seja revisada alguma lei. Mas, como eu disse, não foi questão de “lei não funcionar”. Portanto, só cabe ao JUDICIÁRIO investigar e julgar os culpados e agir conforme a LEI, punindo aqueles que agiram com IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. E só pra acrescentar mais uma coisinha, por curiosidade, a Lei da Ficha Limpa é inconstitucional, e nenhuma lei pode estar acima da Constituição. Isso é só pra te dar uma noção do que é o nosso país e, com certeza, não é a Dilma nem outro presidente que vai mexer nisso, até porque a Constituição tem cláusulas PÉTREAS que não podem ser alteradas. Além disso tudo, o pior problema do Brasil são os próprios brasileiros. Dizer que “todo poder emana do povo” também significa dizer que os próprios governantes são pessoas do povo! E é esse mesmo povo que joga lixo no chão, que fura fila, que aceita troco a mais, que faz pequenas falcatruas todos os dias. A diferença é que, quando um zé ninguém chega ao poder, ele se esbalda no que o poder lhe permite fazer. É só uma questão de proporção, porque a falta de caráter e cidadania está na mente de cada um. Portanto, não é o presidente que vai mudar as improbidades desse país. Só haverá mudança quando a MENTALIDADE do povo mudar. E não é nem questão de dar educação. Tem gente com boa educação que também comete essas pequenas falcatruas. O problema do Brasil é cultural.
    Sendo assim, vamos começar a olhar pro nosso próprio umbigo, se informar mais a respeito das leis e ser menos utópico.
    Um abraço!

    • Clarisse, tudo bem? Obrigada pelo comentário. E eu também de fato não sabia sobre estes pontos políticos que você falou. É bacana entender. Eu mantenho porém, que se trata de educação, porque se eu tivesse aulas à respeito, o Direito não deveria ser apenas para poucos, mas um dever de todos nós… Eu poderia saber e evitar por exemplo, a confusão neste tópico…
      Mas agradeço o debate e espero que volte mais!

      • Obrigada pela resposta, Dannie!
        Fico feliz em saber que tu és uma pessoa aberta ao debate, isso é raro hoje em dia!
        E, com certeza, acho que todos deveriam ter aulas de noções de Direito na escola. Até porque, qualquer concurso público que tu faças, preciso saber, pelo menos, Direito Constitucional.
        Mas, como falei anteriormente, acho que tua intenção foi boa e a indignação é válida. Infelizmente, a gente vive em um país em que os próprios políticos escolhem os seus salários. Muita coisa tá errada…
        Um abraço!

      • Clarisse, acredito que conversando é que poderemos pensar e agir de um modo melhor pra todos.. Obrigada você pelo respeito.

    • Parabéns Clarisse ótimo texto ! ” O problema do Brasil é cultural.Sendo assim, vamos começar a olhar pro nosso próprio umbigo”
      Dannie Karam não quero e nem quis ser grosso, mas Verbum emissum non redit
      Palavra e pedra que se soltam não têm volta.

      • Jorge, não estou aceitando como grosseria ou crítica porque as pessoas que aqui comentam nao me conhecem para me julgarem. Claro que eu gostaria que assim como muitos outros, você pudesse conversar comigo de forma mais tranquila mas entendi suas posições e as respeito. Obrigada por elas.

  4. Oi Dannie! Vc conseguiu expressar exatamente o que sinto, nos seus 2 textos. Infelizmente a liberdade perdeu o lugar para a libertinagem. É triste, mas é fato!
    Num país em que as tragédias naturais em comparação a tantos outros países são bem menores, é absurdo ver que as tragédias ocorrem por culpa do próprio homem BRASILEIRO!
    Não sou contra Zeca Pagodinho ou Dilma, fiquei abismada com a mídia distorcendo as coisas, e o próprio Zeca Pagodinho disse á uma rádio em SP que todos que estavam enaltecendo-o tanto, e o tempo pra isso poderia ser convertido para ajudar realmente a quem precisa. Eu concordo plenamente com isso, mas preferem ficar babando ovo para as celebridades e nada fazem pelo próximo.
    Penso que uma das formas para que o Congresso Brasileiro enxergue o seu povo, seja toda a população votar NULO nas próximas eleições. Pq pelo que vejo hj em dia, ir às ruas protestar virou sinônimo de festa, ficou totalmente distorcido o real significado do protesto.
    A cultura brasileira precisa ser sacudida em todos os aspectos, veja por exemplo, o caso mais noticiado: RENAN CALHEIROS. É absurdo, mas onde que o poder do povo entra nesse caso????
    É necessário urgentemente revermos as leis antiquadas e ultrapassadas desse país. Rever os estatutos dos partidos políticos. Pq muitos discutem sobre um ou outro partido, perde-se tanto tempo, ao invés de rever todas as necessidades. UPGRADE na política urgente desse país.
    Eu não sou da esquerda, nem da direita, sou BRASILEIRA, e isso é muito mais que qualquer orientação política!!!
    Parabéns por suas palavras!!!!

    • Muitíssimo obrigada Luciana. Como vimos, Renan voltou, e só o que restou a fazer foi escrever de novo. Não vão me impedir, até que tenhamos um pouco mais de igualdade. De vida, de poder, de voz… E eu também quero a minha fatia! Obrigada por suas palavras. Um grande beijo! E volte mais!

  5. Você tem todo o direito de escrever, no entanto , esqueceu que a Presidenta é uma pessoa igual a todos nós, e como você se emocionou e resolveu colocar a culpa de todos os erros do mundo na Presidenta, tudo isso eu posso aceitar. No entanto não aceito o fato dela não poder se emocionar, como se a Presidenta não fosse mãe, mulher e portanto um ser humano que chora pela dor de morrer muitos jovens. Temo pelas pessoas que não são se emocionam e não se incomodam com a dor e as injustiças.

    • Marlene, tudo isso já foi respondido, indo de encontro ao fato de que não me emocionei com.o.fato. Mas agradeço sua participação.

  6. Cara Daniella;

    Parabéns pelas palavras escritas.

    Gostaria de que os que vociferam ao encontrar falhas lógicas/argumentativas no teu texto, comecem (ou terminem) suas postagens com textos de autoria dos mesmos, que mesmo que não sejam sobre esta tragédia, também apresentem um PERFEITO arcabouço de argumentação, lógica e posicionamento.

    Pelos teus comentários, vejo que tens mais humanidade que muitos brasileiros. O brasileiro, palavra trágica, cuja origem remonta à saqueadores portugueses ou não que vinham fazer fortuna nestas terras entre os séculos XV e XIX, tem esta sensação de justiceiro do teclado, e gosta muito de apontar falhas. “Está bom, mas podia ser assim ou assado”. O famoso palpiteiro.

    Eu sei o quão grande é o desafio de se colocar sentimentos e idéias no papel ou no teclado, especialmente quando você não é um jornalista, escritor, comentarista, militante, aspone, ou que seja. Se você dedica no total dez horas por dia útil na semana com coisas que nada têm a ver com escrita, o esforço pode ser imenso, e o prazer de ver um texto do jeito que queremos, é igualmente imenso.

    Assim, este leitor acidental que teve ciência de todo o imbroglio há apenas 40 minutos, quer te parabenizar pelos textos desde o original até este que comento. Os Deuses sabem que tentei manter um blog, mas conforme disse, às vezes as pressões externas e internas nos tiram da possibilidade de levar adiante.

    Forte abraço, e que os Deuses sempre te inspirem Força.

    • Joao Carlos, pessoas assim só me dão mais estrutura pra continuar. Porque entendem os textos, respeitam obras e autores, dividem visões de forma respeitosa. Eu agradeço muitíssimo por tudo que disse. Tenha certo que estará guardado em meu coração. Se servir o pedido, continue escrevendo. Não desista dessa forma de expressão. Desse pequeno poder que carregamos de fazer alguma diferença. Não perca a fé. Estamos aqui se precisar. Obrigada mais uma vez. Um grande beijo.

  7. Olá Dannie!!

    A coisa desandou mesmo não é?

    Humildemente deixo aqui o link de um texto que li logo após o acontecido e que diz muito sobre o que tá acontecendo com teu texto nas redes sociais!!

    Destaco essa parte:
    “De minha parte, aqui vão duas notas sobre a velocidade de interação digital com uma tragédia: acho que o mais eficiente é ser rápido na mobilização e lento no julgamento e nas reações emocionais. Os excessos, em geral, acontecem quando essa equação é invertida.” (Gustavo Mini)

    http://www.oesquema.com.br/conector/2013/01/28/santa-maria-tentando-entender-e-tentando-comunicar.htm

    Abraço!

    • Jose, tudo bem? Não entendi o que você quis dizer que desandou. Do meu ponto de vista, eu apenas quis explicar para algumas pessoas que entenderam errado. Mas agradeço o comentário e fico à disposição para dúvidas.

Deixe seu recado após o sinal. Beep!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s