Fim do mundo: os filmes para inspirar o momento apocalíptico.

A quantidade de filmes que abordam destruições em massa é enorme. São verdadeiras cenas apocalípticas de monstros invadindo cidades como Nova York, meteoros caindo e destruindo Paris inteira, alguns vírus mortais acabando com a população mundial e tantas outras possibilidades de dar medo. A questão é que com o fim do mundo chegando (?), resolvemos entrar no clima também, e é por isso que nossa coluninha de cinema de hoje trouxe pra vocês alguns filmes pra curtir com estilo. Como são muitos os filmes que abordam a destruição do nosso planeta por quaisquer motivos, vou focar nos que os fazem por causas naturais, ou seja, nada de aliens e ou super máquinas do futuro, apenas aqueles mais clássicos que nos fazem pensar o tamanho de nossa insignificância diante do universo, e aos desastres provocados pela natureza.

Abrindo a lista trago:

“Impacto Profundo” (Deep Impact) de 1998.

Direção: Mimi Leder

Foto: reprodução

Foto: reprodução

O filme não é nenhuma obra prima. Na realidade é recheado de cenas clichês e daquelas músicas pesarosas que estão ali justamente pra te emocionar, daquelas que te fazem chorar sem a cena ter nada de muito impactante, sabe? Mas eu lembro claramente que ele fez sucesso na época apesar das várias críticas negativas. A história fala de uma equipe formada por americanos e russos que sai em defesa de nosso planeta, planejando colocar detonadores nucleares em um cometa  com 11 mil metros de diâmetro  e, assim,  salvar a Terra  de uma colisão tão desastrosa que ameaçaria toda vida animal e vegetal do planeta. A descoberta é feita por um jovem astrônomo, (interpretado por Frod… er… digo, por Elijah Wood) e seu professor. O fato é que a tentativa da NASA de explodi-lo falha. Aos terrestres, duas opções: esperar enquanto o governo dos EUA (como sempre) realiza um sorteio nacional para decidir quem poderá se refugiar em abrigos subterrâneos ou, para os que não foram selecionados, se desesperar e se preparar para o fim que virá com o impacto. Além de Elijah Wood, o filme tem grandes nomes como Morgan Freeman, Jo Favreau e Robert Duvall também no elenco.

“Armageddon” de 1998.

Direção: Michael Bay

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Seguindo basicamente a mesma linha, inclusive quando se diz respeito ao ano de lançamento (embora Impacto Profundo tenha saído depois) Armageddon chega com nomes de peso não só no elenco, mas também em sua direção. Especialista em fazer filmes bem patriotas, cheios de pressão e alguns (vários) exageros, com aquelas jogadas de câmaras cheias de contrates com a luz do sol, e muitaaa câmera lenta… Já sabem de quem tô falando, não é? Essas são apenas algumas das marcas registradas do diretor Michael Bay, que assina a direção de um dos grandes sucessos de bilheteria norte americanos, a maior de 1998. Michael Bay é um daqueles diretores que ou você gosta MUITO, ou detesta. O filme conta também com Bruce Willis, Ben Affleck, Billy Bob Thornton, Liv Tyler, Will Patton, Steve Buscemi,William Fichtner,Owen Wilson, o falecido Michael Clarke Duncan e muitos outros.

Embalado pelo sucesso musical do Aerosmith,  I Don’t Want to Miss a Thing (Indicada ao Oscar na categoria Melhor Canção Original), novamente nosso querido planeta corre perigo, e é basicamente o mesmo perigo que passamos em Impacto Profundo. O interessante é que os dois filmes foram lançados no mesmo ano. A história, tão mirabolante quanto perigosa, gira em torno de um grupo bem distinto de homens, com um comportamento pouco convencional incluindo pessoas reclusas, ladrões e apostadores, chefiados por Harry S. Stamper, operador de uma plataforma de petróleo. O fato é que a Nasa chama esse grupo para  liderar a perigosa missão de furar o asteroide e detonar bombas nucleares no interior do mesmo, trabalho que Harry e seu grupo fazem normalmente aqui na terra com o petróleo. O asteroide aproxima-se da Terra a uma velocidade média 35.000 km/h. e, se o choque se concretizar, qualquer forma de vida deixará de existir tal como conhecemos, exatamente como o que aniquilou os dinossauros há 65 milhões de anos. Isso tudo ocorre logo depois que uma chuva de pequenos meteoros que atingem nosso planeta destruindo algumas cidades. Para a época, os efeitos especiais foram impressionantes.
“O Dia Depois de Amanhã” (The Day After Tomorrow) de 2004.

Direção: Roland Emmerich

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Com uma história diferente dos nossos dois primeiros filmes, dessa vez nossa Terra sofre alterações climáticas tão violentas que modificam drasticamente a vida da humanidade. Com o norte se resfriando cada vez mais e passando por uma nova era glacial, milhões de sobreviventes rumam para o sul. Porém o paleoclimatologista Jack Hall sai da expedição na Antártida em que estava com os colegas, Frank (Jay O. Sanders) e Jason (Dash Mihok), e segue o caminho inverso. Ele parte para Nova York, já que acredita que seu filho Sam, (que participa de uma competição acadêmica com seus amigos Brian Laura – Arjay Smith e Emmy Rossum) ainda está vivo e preso na cidade após o início das mudanças climáticas.

“2012” de 2011.

Diração: Roland Emmerich

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Já reparei que Mr. Roland Emmerich gosta de destruir nosso planeta. Parece que  o diretor alemão não ficou satisfeito depois do estrago causado em Indepence Day e em O Dia Depois de do Amanhã, resolveu que queria fazer algo mais bruto ainda.

2012 é um filme inspirado na teoria de  que dezembro de 2012 marca o fim de um ciclo definido pelo calendário Maia. Este, por sua vez, mais complexo e muito mais holístico que o nosso.  Muitos são os que creêm que  a data se tranformará em desastres e cataclismas naturais ao redor do mundo causados por irradiações solares e vários outros fenômenos. Não sabemos exatamente a que se referiam mas, segundo os Maias,  os acontecimentos do dia 21 de dezembro,de 2012  serão tão grave  que o mundo tal como o conhecemos desaparecerá.

E é justamente isso que   john Cusack Chiwetel Ejiofor, Oliver Platt, Amanda Peet nos trazem, e uma coisa é certa, deixando de lado explicações cientificas e os famosos apelos hollywoodianos, o filme que te prende na cadeira e te deixa apreensivo. Os efeitos especiais me chamaram muito a atenção. Quem descobre que o bicho está pegando desse vez é o indiano Dr. Santam Tsurutani, que entra em contato com seu amigo, o geólogo americano  Adrian Helmsley, para falar da situação, . Santam descobriu que os neutrinos de uma enorme tempestade solar  estão agindo como a radiação de um microondas, fazendo com que a temperatura do núcleo da Terra aumente rapidamente . Apartir dai, deixo pra vocês descobrirem. Vale a pena conferir.

“Procura-se um Amigo para o Fim do Mundo” (Seeking a Friend for the End of the World) de 2012.

Direção: Lorene Scafaria

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Esse é o filme mais atual da nossa listinha de hoje, e ele conta com a fofíssima  Keira Knightley, e o comediante Steve Carell. Para quem acompanhou The O.C, Adam Brody também compõe o elenco principal. O filme retrata a vida de Dodge, abandonado pela esposa após descobrir que um meteoro se chocará com a Terra em um curto espaço de tempo (novamente o papo batido do meteoro). Seus planos de viver alguns dias de amor enquanto o fim se aproxima começam a se realizar, quando ele se aproxima de sua vizinha (Keira Knightley), que se convida a participar da – antes solitária – jornada, carregando nada além de seus discos favoritos.

Resumindo: se o mundo acabar mesmo, não tem inspiração melhor que estes filmes, acho até que podemos tirar algum proveito desse tal de fim do mundo, nao acham? Pode ser um bom momento para correr atrá e consertar aquelas pequenas coisas que estão nós cutucando a tanto tempo, e que no fim, a gente sempre deixa pra lá, não resolve achando qeu temos mais tempo ou que nada vai acontecer.  E se não acabar, ótimo, pelo menos a gente pode usar a imaginação pra ver quão mal podemos fazer ao nosso planeta sem os devidos cuidados, ou até a nós mesmo. Que tal mais cinema, mais pipoca, mais amor e menos destruição? 😉

Anúncios

6 pensamentos sobre “Fim do mundo: os filmes para inspirar o momento apocalíptico.

    • Olá Camila, obrigada pela visita =)
      Não, vale qualquer filme, postei esses pois foram os que me lembrei na hora hehehe. Ainda não assisti esses que você comentou, mas anotei sua dica e farei uma segunda edição com sugestão assim que tiver um tempinho para vê-los.
      😉

  1. Gostei! Tem também “O Fim dos Tempos” onde bem, o mundo não acaba, mas as plantinhas começam a exalar uma substância quimica que desabilita a área do cérebro que nos faz ter noção de perigo.. a Humanidade começa a se auto destruir. É interessante. (Falta uma parte do texto na parte do “Dia depois de amanhã” eu acho. rs!) adorei o post.

Deixe seu recado após o sinal. Beep!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s