Cigarro: será que você realmente quer continuar fumando?

Ontem publicamos uma matéria falando um pouco sobre o cigarro. Hoje, trago para vocês alguns dos problemas relacionados ao tabagismo, e como essa doença afeta nossa saúde. Já tive pessoas próximas que costumavam fumar muito, e cheguei à conclusão de que nossos pedidos e apelos muitas vezes não fazem muita diferença na decisão da pessoa parar. Eles podem servir de estímulo, pesar na consciência, mas sempre falta alguma coisa a mais na decisão final. Somente quando os males do cigarro passam a prejudicar a saúde dessas pessoas é que o fumante passa a ter uma “consciência real” da agressividade que é este ato. O tabagismo, inclusive, é considerado doença pela Organização Mundial de Saúde.

Só para que fiquemos por dentro, tentarei ilustrar de forma simples e direta. Lembra do monóxido de carbono?  Aquele mesmo CO que sai do cano de escapamento dos carros, e que as empresas usam filtros poderosíssimos para impedir que seja lançado na atmosfera devido à poluição que ele causa? Ele também sai do seu pequeno e inofensivo cigarrinho. A única diferença é que seus pulmões não podem ser “consertados” e nem “substituídos” com facilidade, e são eles que servem de filtro quando você fuma. O CO liga-se a hemoglobina do sangue (responsável pelo transporte de oxigênio) e acaba reduzindo a oxigenação sanguínea no corpo. É pouco? Imagino que seja, mas eu não paro por aqui não.

 

Foto: reprodução

Foto: reprodução

 

A fumaça do cigarro é absorvida por combustão, o que aumenta ainda mais os males da sua composição. O cigarro é feito de tabaco, erva da família das solanáceas, de nome científico Nicotiana Tabacum.  A nicotina, uma das três mais temidas substâncias presente no cigarro, provoca dependência e está associada aos problemas cardíacos e vasculares, afetando também o fígado, local onde é metabolizada. O alcatrão, vilão que marca presença no top 3, pode trazer consigo resíduos de um agrotóxico chamado DDT, que se em contato com nosso corpo, irrita as paredes do nosso estômago. Acredita-se hoje, que o cigarro contém mais ou menos 4800 substâncias tóxicas como polônio e urânio (que são radioativos), e dentre essas, aproximadamente 43 são comprovadamente cancerígenas.

O cigarro pode causar cerca de 50 doenças diferentes. Assim que é tragada, a fumaça provoca alterações no organismo de forma imediata, aumentando a pressão arterial, os batimentos cardíacos e causando constrição dos vasos sanguíneos. Isto faz o coração ter de bater com mais força. Dentre as consequências mais comuns, podemos listar as seguintes:

– hipertensão arterial

– infarto do miocárdio

– aterosclerose

– bronquite crônica

– angina pectoris

– tromboangeíte obliterada

– enfisema pulmonar

– cânceres de pulmão, boca, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, bexiga, rim, faringe, colo de útero, mama, reto, intestino e próstata.

– Diabetes

– otite

– amigdalite

– osteoporose

– acidente vascular cerebral

– aneurisma da aorta

– estomatite

– aborto

– linfoma

– catarata

– periodontite

– tuberculose

– deslocamento precoce da placenta

– sinusite

 

Foto: reprodução

Foto: reprodução

 

Além de tudo isso, os efeitos negativos vão desde verdadeiros estragos à nossa saúde até problemas com a higiene e questões estéticas, sem contar que causa dependência e provoca alterações físicas, emocionais e comportamentais na pessoa que fuma. A fumaça causa amarelamento dos dentes, modifica o hálito, altera o paladar, causa envelhecimento precoce, rugas e muitos outros aspectos degenerativos.

Fica aqui o meu apelo à sua saúde, e à minha também. A dos seus filhos e a de todos nós pelo direito a  Ambientes 100% Livres de Fumo. A educação e conscientização sobre os perigos do tabagismo devem ser feitas desde cedo, tanto nas escolas públicas quanto particulares de todo o Brasil, pois um terço da população mundial está sujeita aos males do tabaco mesmo sem fumar. RESPEITE meu direito à saúde, e evite você também a degradação do seu próprio corpo, porque no futuro, ele lhe fará falta.

Segundo os especialistas, o principal tratamento contra o tabagismo é o desejo de parar. Procure apoio: existem vários medicamentos, vendidos sob prescrição médica que podem ajudar a diminuir o desconforto causado enquanto se tenta largar o vicio. Parando de fumar ainda hoje, você já vai começar a sentir os benefícios de suas atitudes positivas nos próximos dias. Não pense que só porque você fumou sua vida inteira, o estrago já está feito e não adianta mais parar. Isso é mito, sempre é tempo, e nunca é tarde demais.

Aliás, poucos dias sem cigarro já começam a fazer bem. Uma vez, o programa Bem Estar da Rede Globo, deu uma dica popular muito bacana. É a regra do 2!

– 2 dias sem fumar >> suas papilas degustativas voltam a se recompor.

– 2 semanas sem fumar >> o vício químico já não existe. A dependência agora passa a ser apenas psicológica (que pode ser mais fácil de controlar).

– 2 meses sem fumar >> seu pulmão começa a limpar.

– 2 anos sem fumar >> a “reintegração” do pulmão já é completa ou tem boa parte limpa novamente.

Outra dica é quebrar o hábito do cigarro. Se você sempre fuma depois do almoço, passe a fumar apenas duas ou três horas depois. Por mais que você ainda continue fumando, você começa a quebrar a ligação que sua mente faz com o cigarro, passando a ganhar força sobre o vício. Você começa a controlar quando fumar e não apenas segue o chamado do seu corpo viciado. O mesmo serve para quem fuma quando bebe ou quando está dirigindo, por exemplo.

 

Foto: reprodução

Foto: reprodução

 

Você pode também começar trocando um cigarro do dia por 5 minutos de respiração. Você sai ao ar livre, respira fundo e pode até fazer a mesma respiração da tragada. Mas sem o cigarro. Você vai começar a reconhecer que boa parte da “calma” que o cigarro traz é proveniente simplesmente do tempo e da respiração que você faz no meio do seu dia turbulento. E finalmente, para aqueles que já acordam fumando, experimente eliminar o cigarro da manhã. Aquele fumado antes mesmo do café da manhã. Quando você começa o dia avisando seu corpo que virá nicotina por aí, já gera ansiedade e mais dependência.

Evite também ao máximo ficar perto de fumantes, lembre-se que um maço de cigarro por dia te custa R$1700,00 aproximadamente ao ano, e se ainda assim você não se convenceu, simplesmente lembre-se, para o meu bem, que é proibido por lei fumar em uma série de lugares onde você costuma acender o seu cigarrinho.

Anúncios

Deixe seu recado após o sinal. Beep!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s